O PM mineiro

Essa minha estória já se desenrola há algum tempo. Desde a minha infância tenho tara por militares. Parece que é o fetiche de todo gay. Mas no meu caso, é um pouco diferente, por ser filho, sobrinho, primo, de militares, ter estudado em escolas militares etc. Tive uma educação muito rígida e só fui perder minha virgindade com 21 anos. Sou prendado, carinhoso, e adoro sexo. Mas na verdade quero um marido... Para cuidar dele, das roupas dele, fazer comida, cuidar da casa etc. parece loucura, mas sinto essa necessidade, apesar de ter curso superior e trabalhar.Sou de Juiz de Fora MG, tenho 30 anos, e há 2 conheci um PM daqui da minha cidade, temos tido alguns encontrar pelas madrugadas. Mas o que aconteceu no nosso ultimo encontro me marcou, por nunca ter feito o que fiz, e me excitou demais.Sou moreno claro, cabelo preto olhos castanhos, tenho 1,70m 74 quilos, sou um pouco gordinho, tenho peitinho salientes, que sempre me causaram certo constrangimento. Marcamos sempre meia noite, bem perto da minha casa na Zona Sul da cidade, e daqui seguimos para um motel próximo a BR040. Quando entramos no motel, um pedia o corpo do outro, muitos beijos, sarros, carícias, e um 69. Ele chupa um cuzinho que nunca vi igual, me dar muito prazer sentir a língua dele querendo entrar em mim, de qualquer jeito. Ele é um típico militar, alto forte, parrudo, mas muito carinhoso e viril. Seria um marido ideal se ele não fosse casado.Nosso embate sexual, de onde se ouviam gemidos, e sussurros. Seus dedos entravam e saiam de mim, seu pau estava todo dentro da minha boca, queria agradar meu macho na melhor chupada que podia dar, engolindo todo o seu pau, lambendo seu saco, sua virilha. Já estava desesperado, quem é passivo Sabe que chega um momento que queremos ser penetrados, não agüentamos mais segurar. Depois de babar bastante seu pau, e ele o meu cuzinho, me deita de bruços e parte para cima de mim com tudo, querendo já colocar seu pau em mim, o lembrei da camisinha, pois nuncahavíamos feito sem. Mas ele pediu de um jeitinho, e já que o conheço há um tempo. Fiz a loucura de deixar. Não estou fazendo apologia para não usar, é que de fato, foi um lance novo para mi, nunca tinha feito, e também queria saber como é. Deixei que ele entrasse, me arreganhando mais para meu macho. Mas eu estava tenso e ele disse:- Esta tenso por causa da camisinha;- Sim, um pouco.- Então relaxa, e confia em mim, sou casado e doador de sangue,- Então entra em mim logo....- Aiiiiiiiiiiiiii,
Sempre dói na primeira entrada, mas é um dor que gosto, é dor de estar recebendo seu macho na posição de passivo.De bruços podia sentir seu peso me prendendo à cama, e entrando fundo em mim, nossas bocas se procuravam, suas mãos abraçadas as minhas, suas pernas forçando para que as minhas se mantivessem mais abertas possíveis.Deixei que meu PM entrasse e saísse da forma que gostava, com estocadas firmes e fortes que me causam sempre pequenos ais....Nesse embate, ele anuncia que irá gozar, e eu recebo todo seu semém dentro de mim, todinho mesmo. Sinto seu pau amolecer, ele sai de dentro, se joga do meu lado, e me abraça gostoso. Pela primeira vez, sinto sua porra escorrer de dentro de mim. Tomamos um banho gostoso, e temos que voltar, já são 1:45 e ele tem q estar em casa.Nossos encontros são sempre raros, gostaria de ter um PM para mim, ou um macho que seja exclusivamente ativo para ser meu marido. Se for gordinho e peludo eu apaixono.Sou discreto e muito carinhoso.


0 comentários: